Lendo o artigo de Walcyr Carrasco “Astral & Animais” na revista Vejinha do dia 24 de fevereiro e ele ressalta a importância dos animais em nossa vida. São eles que nos acompanham durante grandes e importantes momentos. E por 10 anos tivemos um grande companheiro em casa. O nosso “Gordo feio mais lindo desse mundo” - eu o chamava assim de vez em quando!


   Numa noite em 1998, estávamos em casa quando ouvimos um choro no portão, era um cachorro fofinho, com cara simpática que pedia abrigo. Com o tempo descobrimos que durante a semana ele ficava com a gente e os finais de semana ele passava com uma outra família (conhecida por nós). Foi assim durante um bom tempo, alguns anos. Os dias foram passando e essas viagens, talvez, começaram a cansá-lo, então o Gordo ficava apenas conosco. Esse espertinho conhecido como Gordo, Fluckinho, Gordinho, ou simplesmente Fluck, seu nome de origem. O cachorro mais doido em nossas vidas. Ele foi o qual a família inteira sempre teve carinho.

    Não tinha o costume de entrar em casa, mas era só ouvir um trovão que já começava a tremer e quando menos imaginava estava ele debaixo da mesa do computador, bem escondidinho e trêmulo.
    De banho tinha pavor, parecia tortura. Lembro como se fosse ontem, ele fugindo calminho quando eu aparecia com a água e o shampoo. Estar junto da Turma Reunida era o que ele mais gostava...
    Nos últimos anos de vida ele acompanhava diariamente as vizinhas em caminhadas matinais. Não era completamente sedentário, mas era preguiçoso que só ele. Dormia muito e quando conversava com ele, logo soltava um sorrisinho safado, parecendo debochar da cara alheia. Ah! Adorava mexerica, pedia mais, puxava a calça e algumas vezes virava o lixo (e levava um xinguinho).

    Dia 16 de dezembro, um domingo, ele passou o dia andando de um lado para o outro impaciente. Até que começou a chorar. Era desesperador vê-lo chorando e não saber o que estava acontecendo dentro dele. Logo mais, começou a passar mal. Uma das cenas mais tristes de toda a minha vida. Ele sofrendo, triste, gritando, chorando. Não deu tempo de chegar até o veterinário e o Gordinho foi embora antes...
   A última imagem que tenho dele não é a melhor, mas foram tantos anos juntos que a sua alegria prevalece. O seu jeito safado e cachorro de ser, a felicidade que passava quando ia nos encontrar no meio do caminho na volta à casa. O companheirismo quando eu precisava ficar quieta, lá estávamos nós, ele deitadinho só observando enquanto eu falava e/ou fazia carinho na barrigona dele. Saudades...


Respondendo a questão...
Uma frase que ouvi há algum tempo me faz acreditar que 
"Cachorro não morre, vira estrela"
Estrela essa, que nos seguirá por toda vida e sempre brilhará por nós!

   
  1998, Fluck e as mãos do meu irmão

Não esqueça de deixar seu comentário.
Se passou por algo parecido, ou não, divida com a gente!  

Beijos ;) 

domingo, 28 de fevereiro de 2010 Posted in | | 6 Comments »

One Responses to "Cachorros morrem?"

  1. Guilherme Diogo Rodrigues says:

    Olá,aline

    Que historia bonita, meu lembrou de um cachorro que eu tinha que ja era um menbro da familia!
    Sou daqueles que creem que o cachorro é mesmo o melhor amigo do homem, e concordo com você quando diz que eles virão estrela!

    Você não consegui mudar o template??
    Se quiser que eu mude, me avisa ta??

    Beijos!!!!

  1. Rafael says:

    Os cachorros sao animais que tem algo especial... Estes bichinhos aparecem somente pra fazer a gente feliz... Acho que eles que nos escolhem...

    Acredito que tenha cuidado dele e dado muito carinho... Fez um bom trabalho, o gordo deve ta feliz latindo atras das estrelas cadentes!

    Muita luz pra vc menina!

    Beijos!

  1. Leandro says:

    ahhhhhhh eu me lembro como se fosse hj =/ ahh ps: seu irmão é lindoo uahsaushaushausahsuah

    Bjokass Irmãã ♥ I love you

  1. Agapita says:

    Ooowwnn, eu amo cachorros! Pq eles são fofos, bobos, inocentes, espertos...Eles são felizes!...rs
    Tive um dálmata qdo criança, o Floquinho, pq parecia um sorvete de flocos...rs. Não fiquei tanto tempo qto gostaria com ele, mas foi importante!
    Ahh, nem conheci a já adorei o Fluck, cachorros são o máximo!

    Bjos fofuxa!!

  1. Rodrigo Fukunaru says:

    Olha o atrazildo ai! rs...
    Pra cachorro não tem mal humor, não tem sujo, nem fedido, nem pobre, nem feio!A postura de um cachorro deveria ser vista como uma lição de vida pro ser humano. Amar por amor, simples, alegre, leve...
    A postura de um cão deveria ser tida como uma lição de vida pra gente, mas ao contrário disso, preferimos utilizar seu santo nome em expressões do tipo: Feio pra cachorro!
    Já algum tempo eu tenho um preceito: Não confiar em ninguém que não goste de animais, crianças e natureza!
    Será q é por isso q eu confio em vc?
    Adorei a sensibilidade do texto Li, por favor não faça como eu! Jamais abandone seu blog!

    Super bju

  1. Aline Rodrigues says:

    Oi gente!
    Realmente, animais são tudo de bom!
    Muito obrigada pelo carinho e pelos comentários!
    Tenho certeza que o Fluck está brilhando por todos nós lá em cima!

    Grande beijo à todos!
    Obrigada!

Write a comment